Campanha Resgatando Famílias – Semana 6

 RESGATANDO FAMÍLIAS POR MEIO DA FÉ NO CUMPRIMENTO DA PROMESSA
Gênesis 12:2,3
Como cristãos, devemos compreender que a nossa história muitas vezes se confunde com a história do povo judeu.
Essa história começa com uma série de promessas extraordinárias que Deus deu a um homem chamado Abraão há milhares de anos.
Deus disse a esse homem: “Eu farei de ti uma grande nação; abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome; e tu, será uma bênção. Abençoarei aos que te abençoarem, e amaldiçoarei àquele que te amaldiçoar; e em ti serão benditas todas as famílias da terra”. (Gênesis 12:2,3)
Que promessa fantástica! Ao proferir estas palavras, Deus deu início a um projeto fabuloso, que tinha o objetivo de alcançar e beneficiar não só os judeus, mas, na verdade, “todas as famílias da terra”. As consequências destas palavras, são importantes não somente para o povo oriundo de Abraão, mas para todos nós nos dias de hoje.
Os livros do Antigo Testamento descrevem a descendência de Abraão abrangendo a conquista da terra prometida e formação do reino de Israel. Descrevem também, de forma minuciosa o relacionamento especial de aliança que Deus tinha com este povo.
A nação era composta por doze tribos, provenientes dos doze filhos de Jacó. Ela ganhou fama e proeminência durante um certo tempo, entretanto, logo os israelitas se dividiram em dois reinos rivais. O reino maior, o do norte, manteve o nome original (Israel) e rejeitou sua associação com Deus. O menor, o reino do sul, ficou conhecido como Judá. Seus cidadãos igualmente rejeitaram a Deus, mas uma pequena parcela da população manteve-se fiel ao Criador. Este povo de Judá era o que ainda mantinha viva a linhagem de Abraão, ao qual foi dirigida a promessa feita pelo Senhor.
A promessa que Deus fez a Abraão era um compromisso formal. A Bíblia nos afirma que: “Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa”. (Números 23:19). Dito isso, podemos confiar que Ele manteria Sua palavra e um dia tudo se cumpriria!
Você pode estar a se perguntar neste momento: Mas, e eu? Aonde eu entro nesta história? E quantos aos meus familiares? Qual é a relação disso tudo com a salvação deles?
A explicação é simples: Jesus nasceu como judeu. Era da tribo de Judá. Era, portanto, um descendente de Abraão (Hebreus 7:14).
Seu sacrifício permitiu que pessoas de todas as raças e nações pudessem ter um relacionamento estreito com Deus, o Pai.
Repare que a bênção mais importante viria através da “semente” de Abraão”. Ao lermos Atos 3:25-26 aprendemos que essa benção seria a vida eterna por meio de Jesus Cristo e que ela estaria disponível para cada família deste mundo.
Paulo, outro descendente de Abraão, disse que o importante não é a linhagem de sangue, e sim a descendência espiritual (Romanos 2:28-29). Quando pessoas de qualquer raça ou origem entram em um relacionamento pactual com Cristo, elas, também, tornam-se descendentes de Abraão.
Aos gálatas, Paulo ele escreveu: “Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, também sois descendentes de Abraão e herdeiros segundo a promessa”. (Gl 3:28-29)
Essa promessa estava em Cristo, que é o descendente acima de tudo (Gálatas 3:16) e àqueles que são a descendência espiritual da graça de Deus, filhos da promessa (Gálatas 3:29).
De acordo com a Sua promessa e com base na Sua vontade, Deus salvou uma descendência espiritual que nasceu por meio da graça do alto. É isto que Isaque, o filho nascido segundo a promessa, representa. Por essa razão a Palavra de Deus diz, “Vocês, irmãos, são filhos da promessa, como Isaque” (Gálatas 4:28). A referência de Jesus aqui é à promessa de Deus a Abraão, e a promessa à Sua descendência (Gênesis 17:7).
Jesus está chamando a nossa atenção à natureza da promessa de Deus a Abraão, e subjacente a isso, à vontade de Deus em salvar todas as pessoas. Ele deseja reunir os crentes e a sua descendência e permitir que todos desfrutem das bênçãos da salvação.
Entender que a promessa de Deus a Abraão não foi limitada a uma pequena e antiga nação do Oriente Médio e que ela se estende para muito além disso, fará com que dobremos nossos joelhos e clamemos para que Deus alcance também os nossos.
Desde o início, Deus designou esta promessa para trazer bênçãos a todas as famílias da terra. Este é o Seu propósito. Clamemos então para que este propósito se cumpra dentro de cada uma das nossas famílias.
Lembre-se: “Apeguemo-nos com firmeza à esperança que professamos, pois aquele que prometeu é fiel”. Hebreus 10:23
Deus vos abençoe,
Pr. Fábio

Post a comment

© 2018 MCPJersey. by Agência Mega Pixel